Ano Nacional dos Cristãos leigos e leigas. Por Dom Rafael Biernaski

O mês de novembro tem início com a Celebração dos fiéis defuntos: “A vida dos justos está nas mãos de Deus. E eles estão em paz” (Sb 3,1.3). E ao contemplarmos a “multidão em vestes brancas, lavadas no sangue do Cordeiro” (Ap 7,9.14) na Solenidade de Todos os Santos e Santas, celebramos a graça universal salvadora de Deus e os valores do Seu Reino. Também neste mês as Paróquias e Comarcas preparam suas avaliações do ano de 2017, contribuindo para a preparação da 18ª Assembleia Diocesana de Pastoral. Um tempo para avaliar, celebrar e propor ações para o ano que logo terá início.

“E Maria partiu apressadamente…” Por Dom Rafael Biernaski

Dou graças a Deus ao fazer memória do Encontro Diocesano dos Grupos Bíblicos de Reflexão realizado há um ano na cidade de Penha. Que experiência bonita de celebração e encontro festivo, reunidos pelo amor do nosso Bom Deus, atraídos pela Sua Palavra salvadora. De todas as regiões da Diocese, do litoral à serra, das cidades e campos, o Povo de Deus acolheu o convite e viveu a alegria da partilha e da comunhão. Naquela ocasião, no contexto da Celebração Eucarística, fiz um apelo missionário a todos os Grupos, enviando-os a partilhar esta experiência, promovendo o surgimento de novas pequenas comunidades ao redor da Palavra de Deus, a “Igreja que se reúne nas casas” (1Cor 16,19).

Anunciar o evangelho e doar a própria vida. Por Dom Rafael Biernaski

Dou graças a Deus ao fazer memória do Encontro Diocesano dos Grupos Bíblicos de Reflexão realizado há um ano na cidade de Penha. Que experiência bonita de celebração e encontro festivo, reunidos pelo amor do nosso Bom Deus, atraídos pela Sua Palavra salvadora. De todas as regiões da Diocese, do litoral à serra, das cidades e campos, o Povo de Deus acolheu o convite e viveu a alegria da partilha e da comunhão. Naquela ocasião, no contexto da Celebração Eucarística, fiz um apelo missionário a todos os Grupos, enviando-os a partilhar esta experiência, promovendo o surgimento de novas pequenas comunidades ao redor da Palavra de Deus, a “Igreja que se reúne nas casas” (1Cor 16,19).

Dom Rafael, nossa Diocese de Blumenau abraça-o e louva a Deus pela passagem do 2º aniversário da sua missão entre nós!

Como os filhos e filhas não deixam passar despercebida a data de aniversário do seu pai, assim também nós, diocesanas e diocesanos de Blumenau, não queremos deixar passar despercebida a data de hoje sem assinalar o seu especial significado! Completam-se dois anos da missão de Dom Rafael entre nós, como nosso amado bispo Diocesano! Somos-lhe…

“Igreja que se reúne nas casas”. Por Dom Rafael Biernaski

Dou graças a Deus ao fazer memória do Encontro Diocesano dos Grupos Bíblicos de Reflexão realizado há um ano na cidade de Penha. Que experiência bonita de celebração e encontro festivo, reunidos pelo amor do nosso Bom Deus, atraídos pela Sua Palavra salvadora. De todas as regiões da Diocese, do litoral à serra, das cidades e campos, o Povo de Deus acolheu o convite e viveu a alegria da partilha e da comunhão. Naquela ocasião, no contexto da Celebração Eucarística, fiz um apelo missionário a todos os Grupos, enviando-os a partilhar esta experiência, promovendo o surgimento de novas pequenas comunidades ao redor da Palavra de Deus, a “Igreja que se reúne nas casas” (1Cor 16,19).

17º aniversário de criação da Diocese de Blumenau e 2º ano de nomeação de Dom Rafael como nosso bispo diocesano – Vamos comemorar juntos!

“Será um momento de gratidão a Deus por 17 anos de caminhada na nossa Diocese. A cada ano, as pastorais, movimentos e a organização estão ganhando mais rosto de Igreja, tornando-se uma igreja viva no meio do Povo” (Pe. João Bandoch, Vigário Geral da Diocese de Blumenau).

“Eu sou o Pão Vivo descido do céu”. Por Dom Rafael Biernaski

Ao iniciar o Tempo do Advento, toda a Igreja se coloca na piedosa e alegre expectativa do Natal de Jesus, rosto misericordioso do Pai. Um novo Ano Litúrgico para ser vivido como experiência do amor de Deus em nossa caminhada eclesial, com o coração agradecido por tantas graças e bênçãos neste Jubileu Extraordinário da Misericórdia. O Papa Francisco, com a Carta Apostólica Misericordia et Misera, nos convida a contemplar o encontro de Jesus com a adúltera (Jo 8,1-11), pois segundo ele “não se podia encontrar expressão mais bela e coerente do que esta para fazer compreender o mistério do amor de Deus, quando vem ao encontro do pecador”.

Maria Aparecida, Mãe de Deus e Nossa. Por Dom Rafael Biernaski

Ao iniciar o Tempo do Advento, toda a Igreja se coloca na piedosa e alegre expectativa do Natal de Jesus, rosto misericordioso do Pai. Um novo Ano Litúrgico para ser vivido como experiência do amor de Deus em nossa caminhada eclesial, com o coração agradecido por tantas graças e bênçãos neste Jubileu Extraordinário da Misericórdia. O Papa Francisco, com a Carta Apostólica Misericordia et Misera, nos convida a contemplar o encontro de Jesus com a adúltera (Jo 8,1-11), pois segundo ele “não se podia encontrar expressão mais bela e coerente do que esta para fazer compreender o mistério do amor de Deus, quando vem ao encontro do pecador”.

Páscoa do Senhor. Por Dom Rafael Biernaski

Ao iniciar o Tempo do Advento, toda a Igreja se coloca na piedosa e alegre expectativa do Natal de Jesus, rosto misericordioso do Pai. Um novo Ano Litúrgico para ser vivido como experiência do amor de Deus em nossa caminhada eclesial, com o coração agradecido por tantas graças e bênçãos neste Jubileu Extraordinário da Misericórdia. O Papa Francisco, com a Carta Apostólica Misericordia et Misera, nos convida a contemplar o encontro de Jesus com a adúltera (Jo 8,1-11), pois segundo ele “não se podia encontrar expressão mais bela e coerente do que esta para fazer compreender o mistério do amor de Deus, quando vem ao encontro do pecador”.