No início da adolescência, como era costume da época, teve de contrair um riquíssimo casamento. Mesmo contrariando sua vocação, ela aceitou tudo com humilde resignação, mas não deixou que o mundo de luxo, futilidades e poder contaminassem sua alma, apesar de ter de conviver nele: Ingrid, Bem-aventurada (séc. XIII), celebrada hoje, 03, roga por todos nós!

Você está aqui: